O transtorno explosivo intermitente é caracterizado pela incapacidade de a pessoa lidar com seus impulsos agressivos. São típicos os ataques de fúria, os comportamentos agressivos e os sentimentos posteriores de culpa, vergonha, tristeza ou arrependimento. Para caracterizar o transtorno explosivo intermitente, é preciso verificar certos critérios.

São exemplos de ataques de fúria os comportamentos agressivos como ameaçar, bater ou ferir outra pessoa, destruir objetos, provocar acidentes. Perder o emprego, apresentar dificuldades de relacionamento, envolver-se com a polícia, ir com frequência ao pronto-socorro por ferir-se durante um ataque são algumas das consequências do transtorno.

 

Como em outras condições, o transtorno pode ser leve ou severo, quando ocorre lesão corporal e destruição de objetos.

Critérios para o diagnóstico do transtorno explosivo intermitente

  • apresentar explosões de raiva ao menos duas vezes por semana;

  • apresentar ataques de fúria desproporcionais em relação a uma provocação ou uma situação social estressante;

  • não haver premeditação dos ataques agressivos;

  • os ataques não serem provocados pelo uso de álcool ou outras substâncias, embora possam ser agravados por isso;

  • apresentar sofrimento significativo com a condição ou prejuízo nas atividades escolares, profissionais ou nos relacionamentos.

TRANSTORNO EXPLOSIVO INTERMITENTE

© 2017 por Alina Landi

Criação de textos e site: Beatriz Helena de Assis Pereira