Demência por doença vascular
 
A demência por doença vascular é causada em geral por múltiplos episódios de isquemia. A isquemia é a falta de irrigação sanguínea em partes do cérebro em decorrência principalmente da obstrução de artérias. Podem ocorrer vários episódios de isquemia e a demência é decorrente do aumento progressivo da má oxigenação no cérebro.

​Os principais fatores de risco para o desenvolvimento de doença vascular são hipertensão arterial crônica, tabagismo, níveis aumentados de colesterol, ingestão abusiva de álcool, diabetes, doenças cardíacas, entre outros.

 

A história clínica do paciente, estudos de imagem, avaliação neurológica e cardiovascular são essenciais para estabelecer o diagnóstico de demência vascular.

 

O tratamento tem como objetivo evitar que a doença progrida e, em certos casos, buscar a recuperação das funções cognitivas e da estabilidade emocional.

Sinais de demência vascular

 

  • falta de equilíbrio;

  • alterações na marcha;

  • dificuldade para engolir ou falar;

  • lentidão de movimentos;

  • depressão e ansiedade;

  • mudança repentina do humor ou do ânimo.

No Comprometimento Cognitivo Grave (demências), o declínio da cognição é bem mais acentuado e os sintomas presentes no Comprometimento Cognitivo Leve apresentam-se mais marcados. Tanto o Comprometimento Cognitivo Leve como o Grave pode se apresentar com intensidade leve, moderada ou grave.

 

Uma característica do Comprometimento Cognitivo é a presença de delirium, um estado confusional agudo. Tal estado é uma alteração cognitiva com início agudo, curso flutuante, distúrbios da consciência, da atenção, da orientação, da memória, do pensamento, da percepção e do comportamento.

 

As causas do Comprometimento Cognitivo Leve ou Grave podem ser por:

  • doença de Alzheimer,

  • doenças vasculares,

  • doença de Parkinson,

  • lesão cerebral,

  • infecção por HIV cerebral,

  • doença de Huntington,

  • indução por medicamentos ou substâncias, entre outras.

 

Para distinguir um tipo de demência de outro, é preciso verificar o histórico do paciente, a pré-existência de doenças crônicas, os antecedentes familiares, além da análise dos exames clínicos e de imagem.

COMPROMETIMENTO COGNITIVO GRAVE (DEMÊNCIAS)

Doença com corpos de Lewy

 

A Doença com corpos de Lewy se caracteriza pela presença de agregados de certas proteínas nas células nervosas. Tais alterações estão presentes no córtex cerebral e no tronco encefálico.

​O diagnóstico é essencial, como nas demais demências, para a prescrição da medicação adequada.

Sinais da Doença com corpos de Lewy

 

  • parkinsonismo (tremor em repouso, rigidez muscular, movimentos lentificados, desequilíbrio);

  • alucinações visuais;

  • desmaio;

  • quedas;

  • delírios;

  • comprometimento grave ou persistente da memória com a evolução da doença;

  • sensibilidade a medicações antipsicóticas.

Degeneração Frontotemporal (ou demência frontotemporal)

De progressão lenta, a Degeneração Frontotemporal é uma doença que afeta pessoas com idade acima de 50 anos. É causada por atrofia de partes específicas do cérebro (lobo frontal, inicialmente, e lobo temporal). Essas partes do cérebro, denominadas lobos, apresentam funções importantes relacionadas com a cognição e os sintomas aparecem de acordo com a região afetada. Nessa forma de demência, as alterações no comportamento são mais significativas do que a perda de memória.

O tratamento envolve medicações e orientação de familiares e cuidadores.

Sinais de degeneração frontotemporal

  • alterações no comportamento e na personalidade;

  • negligência com a higiene e os cuidados pessoais;

  • agressividade;

  • desinibição;

  • alterações na fala;

  • depressão.

Doença de Alzheimer

 

Não se sabe ao certo a causa da Doença de Alzheimer, mas sabe-se que as pessoas afetadas, em geral idosas, apresentam lesões características no cérebro. As placas senis são resultado de depósito de certa proteína no cérebro. O volume cerebral também diminui e há morte de células nervosas. Embora incurável, a doença deve ser tratada para melhorar a qualidade de vida da pessoa. Essa doença corresponde a mais de 50% dos casos de demência.

​O tratamento envolve medicações e orientação de familiares e cuidadores.

Sintomas da Doença de Alzheimer

 

  • perda progressiva da memória;

  • desorientação;

  • dificuldades na linguagem;

  • confusão;

  • perda de atenção;

  • alterações de humor;

  • incapacidade para cuidar de si.

Outras demências

 

Além das condições citadas anteriormente, há outras causas para a demência: lesão cerebral por trauma ou acidente, uso de substâncias ou medicação, infecção por HIV, doença de Parkinson, doença de Huntington, doença causada por príons.

 

O correto diagnóstico é essencial para o acompanhamento psiquiátrico de qualquer uma dessas condições.

© 2017 por Alina Landi

Criação de textos e site: Beatriz Helena de Assis Pereira