COVID-19 E SAÚDE MENTAL

A epidemia de Sars-Cov-2 (Covid-19), identificada incialmente em Wuhan (China) em dezembro de 2019, espelhou-se pelo mundo e atingiu níveis de pandemia em 2020. Embora a grande maioria dos pacientes com a Covid-19 apresente principalmente sintomas respiratórios, a doença pode afetar o sistema nervoso e, além disso, comprometer a saúde mental tanto dos doentes, como de familiares, cuidadores e profissionais da saúde.

Isolamento, insegurança em relação às condições financeiras, medo de ser contaminado ou de perder um ente querido para a doença são fatores de estresse. A pandemia tem diversos lados, cada um deles precisa ser levado em conta quando se trata da saúde mental das pessoas. Passar por uma perda, acompanhar alguém que adoece ou mesmo contrair a doença são situações que envolvem tristeza, medo, ansiedade, entre outras emoções. Além disso, as pessoas que tiveram a doença podem apresentar sequelas ou efeitos adversos do tratamento e/ou da doença.

O estresse causado pelo isolamento, pelo medo do que pode acontecer consigo mesmo ou com familiares, amigos ou conhecidos está associado à piora na qualidade do sono, à ansiedade, ao abuso de substâncias tóxicas, à depressão. Além dos efeitos associados à doença, as condições econômico-sociais também levam a estresse. Estudos mostram que o aumento nas tentativas de suicídio e maiores índices de ansiedade e depressão estão entre as principais consequências da pandemia de covid-19 em jovens.

Entre os profissionais que estão na linha de frente da pandemia, como médicos e enfermeiros, a síndrome do Burnout é uma realidade. A síndrome é uma reação à exposição crônica a fatores emocionais e interpessoais estressantes relacionados ao ambiente de trabalho.

Em estudos recentes ficou demonstrado que a Covid-19 também afeta o sistema nervoso levando a alterações neurológicas além das psicológicas. Veja mais sobre os efeitos neurológicos e na saúde mental.

Todos os fatores associados à Covid podem levar tanto doentes e familiares como profissionais que lidam com a doença ao transtorno de estresse pós-traumático em que há dificuldade em se recuperar após vivenciar ou testemunhar um acontecimento emocionalmente estressante como é uma pandemia.

A ansiedade vivenciada durante a pandemia pode levar ao transtorno do comer compulsivo, à síndrome do pânico e a outras condições psiquiátricas que requerem a intervenção de um médico psiquiatra.